Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

Fale Conosco

Perfil: Mudar

 E-mail

Neste espaço você pode enviar e-mails para:
- Esclarecer dúvidas
- Fazer solicitações
- Registrar elogios, sugestões e reclamações.


 

Clique no botão abaixo para acessar o formulário ou envie e-mail para fale.conosco.valia@vale.com.​​​

​​

IR PARA O FORMULÁRIO​

Disque Valia

Dúvidas, solicitações, sugestões, reclamações e elogios? Ligue gratuitamente. De seg-sex, de 8​h-18h. Tenha seu código de acesso e senha: 0800 7020 162​
Ramal interno: 162
Celular ou exterior: 0XX 21 - 3184-9999​

Consultor Valia

Os consultores são profissionais especializados, que atendem no seu local de trabalho. Encontre o mais próximo.​​

Agências e postos de Atendimento​

Confira os endere​ços das agências e postos de atendimento

​Hora Marcada

Para saber como agendar um horário, clique aqui​.​​​

​​​​

Atendimento Itinerante

Quer saber quando o atendimento da Valia estará na sua região?

​Dúvidas frequentes

Encontre aqui as respostas para as dúvidas mais frequentes.

  • Vale Mais – Regras

    Como o participante pode se inscrever no plano Vale Mais?

    O participante deverá preencher o Requerimento de Inscrição no plano Vale Mais e entregá-lo ao órgão de pessoal da empresa patrocinadora ou ao seu representante mais próximo.

    Quem pode se inscrever no plano Vale Mais?

    Todos os empregados das empresas patrocinadoras deste plano, desde que respeitem as seguintes condições:

    a) Não estejam em Auxílio-Doença ou em Aposentadoria por Invalidez pela Previdência Pública.

    b) Não sejam assistidos da Valia pelo Vale Mais ou pelo Plano de Benefício Definido.

    O empregado de empresa patrocinadora que já é aposentado pelo INSS (exceto por invalidez) pode se inscrever no Vale Mais?

    Sim, desde que não esteja em Auxílio-Doença nem seja assistido do plano Vale Mais ou pelo plano de Benefício Definido.

    O empregado de empresa patrocinadora pode se inscrever no Vale Mais em qualquer época?

    Sim, desde que não esteja em Auxílio-Doença ou em Aposentadoria por Invalidez pela Previdência Pública, nem seja assistido da Valia pelo Vale Mais ou pelo Plano de Benefício Definido.

    Qual será o valor da contribuição ordinária do participante no plano Vale Mais?

    • Para salários até 10 UR, a contribuição será de 1% sobre o salário-de-participação.

    • Para salários acima de 10 UR, a contribuição é formada pela soma de 2 (duas) parcelas: a primeira equivale a 1% de 10 UR; a segunda será calculada aplicando-se um percentual de livre escolha do participante – no mínimo de 1% e sempre em número inteiro –, sobre a diferença entre o salário-de-participação e 10 UR.

    O participante poderá alterar a sua contribuição ordinária em qualquer momento?

    Não. O percentual de livre escolha, de contribuição ordinária, indicado pelo participante, só poderá ser aumentado ou reduzido uma vez por ano, em mês fixado pela Valia, divulgado amplamente pelos canais de comunicação.

    O participante poderá fazer contribuições esporádicas para o Vale Mais?

    Sim. O participante poderá fazer contribuições esporádicas para o Vale Mais a qualquer momento e de qualquer valor e, desta forma, melhorar o seu benefício futuro.

    No momento da inscrição, o participante deve definir seu percentual de contribuição. Que ferramenta pode me ajudar nesta definição?

    O participante pode utilizar o simulador de Renda, existente no site da Valia (www.valia.com.br).

    Qual será a contribuição da empresa patrocinadora?

    A contribuição ordinária da empresa patrocinadora será exatamente igual à do participante, limitada a 9% na parcela do salário-de-participação excedente a 10 UR. Além desta contribuição, a empresa fará outra para garantir os benefícios de risco (Invalidez, Auxílio-Doença e Morte em Atividade) e para o custeio administrativo do plano.

    Se o participante aumentar a sua contribuição ordinária, a empresa patrocinadora aumentará a parte dela automaticamente?

    Sim, até atingir o limite de 9% sobre a parcela do salário-de-participação, excedente a 10 UR.

    A contribuição incide sobre 13º salário, férias, adicional de insalubridade, adicional de periculosidade, horas extras, PPR e outros pagamentos?

    Não. A base de cálculo, ou salário-de-participação, é o salário-base, excluindo-se todas as demais parcelas.

    Caso o participante esteja recebendo suplementação de Auxílio-Doença, como ficam as suas contribuições para o Vale Mais?

    Durante o período em que o participante estiver recebendo a suplementação de Auxílio-Doença, não serão feitas contribuições para o Vale Mais. Por isso, é importante entrar em contato com a Valia informando o afastamento.

    Como o participante fica sabendo do seu Saldo de Conta?

    O participante poderá acessar o Portal do Participante, disponível no site da Valia, e verificar os valores creditados, rentabilidade e outros.

    Como será formado o fundo para pagar a aposentadoria do participante?

    As contribuições do participante e as contribuições ordinárias da empresa serão creditadas mensalmente em contas individuais, acrescidas da rentabilidade líquida dos investimentos, formando o Saldo de Conta do participante.

    De onde sairão os recursos para pagar os benefícios de risco (Suplementação de Aposentadoria por Invalidez, Auxílio-Doença e Pensão por Morte do participante em atividade), além dos custos administrativos da Valia?

    Os custos dos benefícios de risco, bem como os gastos administrativos da Valia, serão pagos pelas empresas patrocinadoras.

    De que forma o participante poderá receber sua Renda, seja ela de Aposentadoria Normal, Aposentadoria Antecipada ou do Benefício Diferido por Desligamento?

    Quando o participante se desligar da empresa, com no mínimo 55 anos de idade (para Renda de Aposentadoria Normal) ou 45 anos de idade (para Renda da Aposentadoria Antecipada e Renda do Benefício Diferido por Desligamento) e tiver pelo menos 5 anos de filiação ao Vale Mais – contados a partir da data da última adesão –, poderá utilizar o seu Saldo de Conta da maneira que lhe for mais conveniente, escolhendo uma das seguintes opções:

    • Renda vitalícia;

    • Renda mensal por prazo determinado (10, 15, 20, 25, 30, 35, 40 ou 45 anos);

    • Renda mensal equivalente à aplicação de um percentual (0,5%, 1%, 1,5%, 2%, 2,5%, 3%) sobre o Saldo de Conta;

    • Pagamento à vista (total ou parcial).

    Após a rescisão do contrato de trabalho com a empresa patrocinadora, como o participante será informado das opções que o Vale Mais oferece?

    A Valia encaminhará um extrato, contendo as opções possíveis para a permanência do participante no Vale Mais ou para o seu desligamento. O envio será feito no prazo de até 30 dias, contados a partir da data em que a Fundação receber a comunicação da empresa patrocinadora a respeito da rescisão do contrato de trabalho ou da data do protocolo do requerimento do extrato pelo participante. Caso não receba o extrato em sua residência é importante procurar a Valia através do Fale Conosco para que possa receber as orientações necessárias.

    Que informações constarão nesse extrato?

    No documento conterão informações que ajudam o participante a avaliar e a definir a sua opção. Mesmo tendo saído da empresa patrocinadora o participante pode manter o plano ativo, bastando optar pelo Autopatrocínio ou pelo Benefício Proporcional Diferido (Vinculado). Caso queira se desligar do plano de previdência poderá então optar pelo Resgate ou pela Portabilidade, conforme previsto nas condições estabelecidas no regulamento do plano.

    O que é o Autopatrocínio?

    O Autopatrocínio possibilita a permanência do participante no Vale Mais, pagando a sua contribuição adicionada à parte da empresa, referente à contribuição normal mensal de risco e a taxa de administração.

    Que condições o participante deve preencher para poder optar pelo Autopatrocínio, e em qual prazo?

    As condições são:

    • Ter perdido total ou parcialmente a remuneração;

    • Não estar recebendo benefício pelo Vale Mais;

    • Ter cumprido o prazo regulamentar para a opção, observadas as demais condições previstas no regulamento do plano Vale Mais.

    O prazo para essa opção é de até 30 dias contados, a partir do recebimento do Extrato.

    O que é o Resgate?

    O Resgate assegura o recebimento da totalidade das contribuições ordinárias e esporádicas do participante para o Vale Mais.

    O participante receberá 100% de todas as contribuições que fez, mais a parte das contribuições que a empresa patrocinadora fez para o benefício programado – equivalente a 1% por mês de contribuição no Vale Mais, até o limite de 80%. Tudo isto acrescido da rentabilidade líquida dos investimentos. Sobre o valor do resgate é descontado o imposto de renda. O cálculo deste imposto é definido de acordo com a Tabela de Tributação a qual está cadastrado.

    Que condições o participante deve preencher para poder optar pelo Resgate?

    • Ter rescindido o contrato de trabalho com a empresa patrocinadora.

    • Não estar em gozo de benefício pelo Vale Mais, observadas as demais condições previstas no regulamento do plano Vale Mais.

    Como será pago o resgate?

    O participante poderá optar:

    • De uma única vez; ou

    • Em até 12 parcelas, que serão revistas pela rentabilidade líquida do plano.

    O que é a Portabilidade?

    A Portabilidade permite que o participante transfira seu Saldo de Conta no Vale Mais para outra entidade de previdência complementar; ou traga para o seu plano Vale Mais na Valia, as reservas que ele já tinha em outra entidade de previdência complementar, sem que haja incidência de imposto de renda nessa transferência.

    Que condições o participante deve preencher para poder optar pela portabilidade no Vale Mais e qual o prazo para essa opção?

    • Ter rescindido o contrato de trabalho com a empresa patrocinadora;

    • Não estar em gozo de benefício pelo Vale Mais;

    • Ter cumprido a carência de 3 anos de vinculação ao Vale Mais;

    • Ter cumprido o prazo regulamentar para a opção, observadas as demais condições previstas no regulamento do Vale Mais.

    O prazo para essa opção é de até 30 dias, contados a partir do recebimento do Extrato pelo participante.

    Como será feita a Portabilidade do Vale Mais para outra entidade de previdência complementar?

    Será feita em dinheiro, através de transferência bancária, mediante assinatura do Termo de Portabilidade, que deve ser encaminhado para a entidade de previdência complementar que receberá o valor do Saldo de Conta transferido. O dinheiro será transferido pela Valia, diretamente para a entidade receptora sem incidência de IR, até o quinto dia útil do mês seguinte à data do protocolo do Termo de Portabilidade.

    No caso de valores portados de outra entidade de previdência complementar para o Vale Mais, como serão utilizados os valores portados?

    • Os valores portados serão utilizados para a melhoria do benefício;

    • Para fins de concessão de Renda de Aposentadoria Normal, Renda de Aposentadoria Antecipada ou Renda de Benefício Diferido por Desligamento, os valores portados serão incorporados ao Saldo de Conta;

    • Para fins de concessão de benefício de suplementação – exceto no caso de suplementação de Auxílio-Doença –, o valor portado será calculado atuarialmente e utilizado para melhoria de benefício;

    • Os valores portados também são passíveis de Resgate, contanto que o participante tenha portado recursos de uma Entidade Aberta de Previdência Complementar ou de Sociedade Segurada para este plano.

    • Caso o participante não opte pelo Resgate destes valores, os recursos portados também poderão ser objeto de nova portabilidade. Entretanto, nos termos da legislação vigente, os recursos portados de outro Fundo de Pensão não poderão ser resgatados, sendo passíveis de portabilidade.

  • Vale Mais - Benefícios

    Quais são os benefícios do Vale Mais?

    • Renda de Aposentadoria (normal e antecipada),

    • Renda de Abono Anual

    • Renda de Pensão por Morte do Participante

    • Renda de Benefício Diferido por Desligamento

    • Suplementação da Aposentadoria por Invalidez

    • Suplementação de Pensão por Morte do Participante

    • Suplementação de Abono Anual

    • Suplementação do Auxílio-Doença

    Como será a Renda da Aposentadoria Normal e a da Antecipada?

    A Renda da Aposentadoria Normal é totalmente independente das regras do INSS, podendo ser exercida quando o participante tiver 55 anos de idade, pelo menos 5 anos de filiação ao Vale Mais, contados a partir da data da última adesão ao Vale Mais, e vier a se desligar da empresa por qualquer motivo. A Renda da Aposentadoria Antecipada obedece às mesmas regras, sendo que a exigência da idade mínima fica reduzida para 45 anos.

    Como será calculada a Suplementação da Aposentadoria por Invalidez?

    Caso o participante fique inválido, o seu benefício será vitalício (por toda a vida) e igual ao maior dentre os três valores:

    • 60% da média dos 12 últimos salários-de-participação corrigidos, menos10 UR (*);

    • Transformação do seu Saldo de Conta em renda mensal vitalícia;

    • 15% da média dos 12 últimos salários-de-participação corrigidos.

    (*) UR – Unidade de Referência do Plano Vale Mais, utilizada para cálculo de benefícios e contribuições, conforme definido no Regulamento. Para conferir o valor atual da UR, entre em contato com o Fale Conosco da Valia.

    FIQUE ATENTO: o participante só poderá receber a Suplementação de Auxílio-Doença quando o benefício tiver sido concedido pelo INSS e no período em que ele estiver sendo pago.

    Como é feito o cálculo da Pensão por Morte do participante?

    Se o participante falecer em atividade, o seu beneficiário terá uma pensão igual a 70% da Suplementação da Aposentadoria por Invalidez a que o participante teria direito se tivesse ficado inválido.

    Se o falecimento ocorrer no período em que o participante já receba o benefício de Renda pelo Vale Mais, o valor será calculado da seguinte forma:

    • em caso de Renda Vitalícia, igual a 70% do benefício, ou

    • caso o participante não tenha optado por Renda Vitalícia, igual a 100% do benefício, até o término do prazo de recebimento da Renda ou enquanto existir Saldo de Conta remanescente.

    Quem são os beneficiários do Vale Mais?

    • Cônjuge;

    • Companheiro ou companheira;

    • Filhos e filhas (inclusive os legalmente adotados) menores de 21 anos ou com até 24 anos, desde que estejam cursando estabelecimento de ensino superior;

    • Filhos e filhas solteiros e inválidos de qualquer idade;

    • Ex-cônjuge, ex-companheiro ou ex-companheira que estejam recebendo pensão alimentícia.

    Quem receberá o valor acumulado na conta do participante, caso ele faleça antes de receber o benefício e não tenha beneficiários?

    Os herdeiros legais, conforme definido na Legislação e no Regulamento do plano.

    O viúvo ou viúva, que esteja recebendo benefício de Pensão por Morte pelo Vale Mais, que resolver se casar deixará de receber o benefício?

    Não. O viúvo ou viúva que se casar novamente continuará recebendo o benefício de Pensão por Morte previsto no Vale Mais.

    Como será calculada a Suplementação de Auxílio-Doença?

    A Suplementação de Auxílio-Doença será igual à média dos 12 últimos salários-de-participação corrigidos, menos 10 UR.

    FIQUE ATENTO: o participante só poderá receber a Suplementação de Auxílio-Doença quando o benefício já tiver sido concedido pelo INSS e durante o período em que ele estiver sendo pago.

    O que é a Renda do Benefício Diferido por desligamento?

    É um benefício decorrente da opção pelo “Benefício Proporcional Diferido”.

    O que é o Benefício Proporcional Diferido?

    O Benefício Proporcional Diferido, também conhecido como BPD, permite que o participante obtenha a Renda do Benefício Diferido por Desligamento, sem a necessidade de contribuir para o plano após a rescisão do seu contrato de trabalho com a empresa patrocinadora. Ele permanecerá vinculado até que esteja em condições de requerer e receber este benefício, nos termos previstos no Regulamento do Plano Vale Mais.

    Quem escolhe o Benefício Proporcional Diferido fica impedido de optar posteriormente pela Portabilidade ou pelo Resgate?

    Não. O participante que escolheu o Benefício Proporcional Diferido (pode mudar, se quiser, para a Portabilidade ou para o Resgate. Basta respeitar os termos e condições previstos no regulamento do Vale Mais.

    O que acontece se, após receber o Extrato, o participante não fizer sua opção no prazo de 30 dias, seja pelo Autopatrocínio, pelo Benefício Proporcional Diferido, pela Portabilidade ou pelo Resgate?

    O participante passará à condição de “vinculado presumido”, desde que esteja na condição de contribuinte ativo antes da rescisão do contrato de trabalho com a empresa patrocinadora, não tenha preenchido os requisitos para a Renda de Aposentadoria Normal ou Renda de Aposentadoria Antecipada e tenha cumprido a carência de 1 ano de vinculação ao Vale Mais.

    Dessa forma, estará apto a requerer e receber a Renda do Benefício Diferido por Desligamento – quando forem cumpridos os requisitos –, nos termos previstos no regulamento do Vale Mais e nas condições das normas internas da Valia.

    Se estiver na condição de vinculado o participante poderá contribuir para o plano?

    Sim. Nesta hipótese, embora não seja obrigatório, o participante poderá fazer contribuições esporádicas e melhorar o valor do seu benefício no futuro.

    Que condições o participante deve preencher se quiser optar pelo Benefício Proporcional Diferido, e em qual prazo?

    As condições são:

    • Ter rescindido o contrato de trabalho com a empresa patrocinadora;

    • Não ter preenchido os requisitos para a Renda de Aposentadoria Normal nem ter iniciado o recebimento da Renda de Aposentadoria Antecipada;

    • Ter cumprido a carência de 1 ano de vinculação ao Vale Mais;

    • Não ter requerido o Resgate nem a Portabilidade;

    • Ter cumprido o prazo regulamentar para a opção, observadas as demais condições previstas no Regulamento do plano Vale Mais.

    Mesmo desligando-se da empresa, o Vale Mais lhe dá a opção de permanecer no plano.

    O prazo para a opção pelo Benefício Proporcional Diferido é de até 30 dias contados do recebimento do Extrato.

    O que é o Abono Anual?

    É um benefício semelhante ao 13º salário. É pago pela Valia ao assistido até o mês de dezembro, e o seu valor é igual ao valor do benefício mensal pago no mês.

    Como serão reajustados os benefícios vitalícios?

    Os benefícios de risco (Suplementação de Aposentadoria por Invalidez, Auxílio-Doença e Pensão por Morte) e os demais benefícios vitalícios serão reajustados pelo menos uma vez por ano, com base na variação do IPC-FGV(*).

    (*) IPC-FGV – Índice de Preços ao Consumidor – Brasil apurado pela Fundação Getúlio Vargas.

    Como serão revistas as rendas que não são vitalícias?

    Os benefícios programáveis, que não forem pagos de forma vitalícia (Renda de Aposentadoria Normal ou Antecipada e Renda do Benefício Diferido por Desligamento), terão seu valor revisto mensalmente com base na rentabilidade líquida dos investimentos.

    O participante terá que continuar pagando a contribuição ordinária para o Vale Mais quando começar a receber benefício pelo plano?

    Não. A contribuição ordinária cessa automaticamente quando o participante passar a receber o benefício do Vale Mais.

    Como o participante poderá projetar o valor do seu benefício na aposentadoria?

    O participante poderá utilizar o simulador de benefícios disponível no site da Valia (www.valia.com.br).

  • Valiaprev - Regras

    Como o participante pode se inscrever no plano Valiaprev?

    O participante deverá preencher o Requerimento de Inscrição no plano Valiaprev e entregá-lo ao órgão de pessoal da empresa patrocinadora ou ao seu representante mais próximo.

    Quem pode se inscrever no plano Valiaprev?

    Todos os empregados das empresas patrocinadoras deste plano, desde que respeitem as seguintes condições:

    a) Não estejam em Auxílio-Doença ou em Aposentadoria por Invalidez pela Previdência Pública.

    b) Não sejam assistidos da Valia pelo Valiaprev.

    O empregado de empresa patrocinadora que já é aposentado pelo INSS (exceto por invalidez) pode se inscrever no Valiaprev?

    Sim, desde que não esteja em Auxílio-Doença nem seja assistido do plano Valiaprev ou pelo plano de Benefício Definido.

    O empregado de empresa patrocinadora pode se inscrever no Valiaprev em qualquer época?

    Sim, desde que não esteja em Auxílio-Doença ou em Aposentadoria por Invalidez pela Previdência Pública, nem seja assistido da Valia pelo Valiaprev ou pelo Plano de Benefício Definido.

    Qual será o valor da contribuição ordinária do participante no plano Valiaprev?

    • Para salários até 10 UR, a contribuição será de 1% sobre o salário-de-participação.

    • Para salários acima de 10 UR, a contribuição é formada pela soma de 2 (duas) parcelas: a primeira equivale a 1% de 10 UR; a segunda será calculada aplicando-se um percentual de livre escolha do participante – no mínimo de 1% e sempre em número inteiro –, sobre a diferença entre o salário-de-participação e 10 UR.

    O participante poderá alterar a sua contribuição ordinária em qualquer momento?

    Não. O percentual de livre escolha, de contribuição ordinária, indicado pelo participante, só poderá ser aumentado ou reduzido uma vez por ano, em mês fixado pela Valia, divulgado amplamente pelos canais de comunicação.

    O participante poderá fazer contribuições esporádicas para o Valiaprev?

    Sim. O participante poderá fazer contribuições esporádicas para o Valiaprev a qualquer momento e de qualquer valor e, desta forma, melhorar o seu benefício futuro.

    No momento da inscrição, o participante deve definir seu percentual de contribuição. Que ferramenta pode me ajudar nesta definição?

    O participante pode utilizar o simulador de Renda, existente no site da Valia (www.valia.com.br).

    Qual será a contribuição da empresa patrocinadora?

    A contribuição ordinária da empresa patrocinadora será exatamente igual à do participante, limitada a 9% na parcela do salário-de-participação excedente a 10 UR. Além desta contribuição, a empresa fará outra para garantir os benefícios de risco (Invalidez e Morte em Atividade) e para o custeio administrativo do plano.

    Se o participante aumentar a sua contribuição ordinária, a empresa patrocinadora aumentará a parte dela automaticamente?

    Sim, até atingir o limite de 9% sobre a parcela do salário-de-participação, excedente a 10 UR.

    A contribuição incide sobre 13º salário, férias, adicional de insalubridade, adicional de periculosidade, horas extras, participação nos lucros/resultados e outros pagamentos?

    Não. A base de cálculo, ou salário-de-participação, é o salário-base, excluindo-se todas as demais parcelas.

    Como o participante fica sabendo do seu Saldo de Conta?

    O participante poderá acessar o Portal do Participante, disponível no site da Valia, e verificar os valores creditados, rentabilidade e outros.

    Como será formado o fundo para pagar a aposentadoria do participante?

    As contribuições do participante e as contribuições ordinárias da empresa serão creditadas mensalmente em contas individuais, acrescidas da rentabilidade líquida dos investimentos, formando o Saldo de Conta do participante.

    De onde sairão os recursos para pagar os benefícios de risco (Suplementação de Aposentadoria por Invalidez e Pensão por Morte do participante em atividade), além dos custos administrativos da Valia?

    Os custos dos benefícios de risco, bem como os gastos administrativos da Valia, serão pagos pelas empresas patrocinadoras.

    De que forma o participante poderá receber sua Renda, seja ela de Aposentadoria Normal, Aposentadoria Antecipada ou do Benefício Diferido por Desligamento?

    Quando o participante se desligar da empresa, com no mínimo 55 anos de idade (para Renda de Aposentadoria Normal) ou 45 anos de idade (para Renda da Aposentadoria Antecipada e Renda do Benefício Diferido por Desligamento) e tiver pelo menos 5 anos de filiação ao Valiaprev – contados a partir da data da última adesão –, poderá utilizar o seu Saldo de Conta da maneira que lhe for mais conveniente, escolhendo uma das seguintes opções:

    • Renda vitalícia;

    • Renda mensal por prazo determinado (10, 15, 20, 25, 30, 35, 40 ou 45 anos);

    • Renda mensal equivalente à aplicação de um percentual (0,5%, 1%, 1,5%, 2%, 2,5%, 3%) sobre o Saldo de Conta;

    Pagamento de até 25% do Saldo de Conta à vista e do restante, de acordo com umas das formas de renda mensal citadas anteriormente.

    Após a rescisão do contrato de trabalho com a empresa patrocinadora, como o participante será informado das opções que o Valiaprev oferece?

    A Valia encaminhará um extrato, contendo as opções possíveis para a permanência do participante no Valiaprev ou para o seu desligamento. O envio será feito no prazo de até 30 dias, contados a partir da data em que a Fundação receber a comunicação da empresa patrocinadora a respeito da rescisão do contrato de trabalho ou da data do protocolo do requerimento do extrato pelo participante. Caso não receba o extrato em sua residência é importante procurar a Valia através do Fale Conosco para que possa receber as orientações necessárias.

    Que informações constarão nesse extrato?

    No documento conterão informações que ajudam o participante a avaliar e a definir a sua opção. Mesmo tendo saído da empresa patrocinadora o participante pode manter o plano ativo, bastando optar pelo Autopatrocínio ou pelo Benefício Proporcional Diferido (vinculado). Caso queira se desligar do plano de previdência poderá então optar pelo Resgate ou pela Portabilidade, conforme previsto nas condições estabelecidas no regulamento do plano.

    O que é o Autopatrocínio?

    O Autopatrocínio possibilita a permanência do participante no Valiaprev, pagando a sua contribuição adicionada à parte da empresa, referente à contribuição normal mensal de risco e a taxa de administração.

    Que condições o participante deve preencher para poder optar pelo Autopatrocínio, e em qual prazo?

    a) As condições são:

    • Ter perdido total ou parcialmente a remuneração;

    • Não estar recebendo benefício pelo Valiaprev;

    • Ter cumprido o prazo regulamentar para a opção, observadas as demais condições previstas no regulamento do plano Valiaprev.

    O prazo para essa opção é de até 30 dias contados, a partir do recebimento do Extrato.

    O que é o Resgate?

    O Resgate assegura o recebimento da totalidade das contribuições ordinárias e esporádicas do participante para o Valiaprev. O participante receberá 100% de todas as contribuições que fez, mais a parte das contribuições que a empresa patrocinadora fez para o benefício programado – equivalente a 1% por mês de contribuição ordinária no Valiaprev, até o limite de 80%. Tudo isto, acrescido da rentabilidade líquida dos investimentos. Sobre o valor do resgate é descontado o Imposto de Renda. O cálculo deste imposto é definido de acordo com a Tabela de Tributação pela qual optou.

    Que condições o participante deve preencher para poder optar pelo Resgate?

    • Ter rescindido o contrato de trabalho com a empresa patrocinadora.

    • Não estar em gozo de benefício pelo Valiaprev, observadas as demais condições previstas no regulamento do plano Valiaprev.

    Como será pago o Resgate?

    O participante poderá optar por receber:

    • De uma única vez; ou

    • Em até 12 parcelas, que serão revistas pela rentabilidade líquida do plano.

    O que é a Portabilidade?

    A Portabilidade permite que o participante transfira seu Saldo de Conta no Valiaprev para outra entidade de previdência complementar; ou traga para o seu plano Valiaprev na Valia, as reservas que ele já tinha em outra entidade de previdência complementar, sem que haja incidência de imposto de renda nessa transferência.

    Que condições o participante deve preencher para poder optar pela portabilidade no Valiaprev e qual o prazo para essa opção?

    • Ter rescindido o contrato de trabalho com a empresa patrocinadora;

    • Não estar em gozo de benefício pelo Valiaprev;

    • Ter cumprido a carência de 3 anos de vinculação ao Valiaprev;

    • Ter cumprido o prazo regulamentar para a opção, observadas as demais condições previstas no regulamento do Valiaprev.

    O prazo para essa opção é de até 30 dias, contados a partir do recebimento do Extrato pelo participante.

    Como será feita a Portabilidade do Valiaprev para outra entidade de previdência complementar?

    Será feita em dinheiro, através de transferência bancária, mediante assinatura do Termo de Portabilidade, que deve ser encaminhado para a entidade de previdência complementar que receberá o valor do Saldo de Conta transferido. O dinheiro será transferido pela Valia, diretamente para a entidade receptora sem incidência de IR, até o quinto dia útil do mês seguinte à data do protocolo do Termo de Portabilidade.

    No caso de valores portados de outra entidade de previdência complementar para o Valiaprev, como serão utilizados os valores portados?

    • Os valores portados serão utilizados para a melhoria do benefício;

    • Para fins de concessão de Renda de Aposentadoria Normal, Renda de Aposentadoria Antecipada ou Renda de Benefício Diferido por Desligamento, os valores portados serão incorporados ao Saldo de Conta;

    • Para fins de concessão de benefício de suplementação – exceto no caso de suplementação de Auxílio-Doença –, o valor portado será calculado atuarialmente e utilizado para melhoria de benefício;

    • Os valores portados também são passíveis de Resgate, contanto que o participante tenha portado recursos de uma Entidade Aberta de Previdência Complementar ou de Sociedade Segurada para este plano.

    • Caso o participante não opte pelo Resgate destes valores, os recursos portados também poderão ser objeto de nova portabilidade. Entretanto, nos termos da legislação vigente, os recursos portados de outro Fundo de Pensão não poderão ser resgatados, sendo passíveis de portabilidade.

  • Valiaprev – Benefícios

    Quais são os benefícios do Valiaprev?

    • Renda de Aposentadoria (normal e antecipada);

    • Renda de Pensão por Morte do Participante;

    • Renda de Benefício Diferido por Desligamento;

    • Renda de Abono Anual;

    • Suplementação da Aposentadoria por Invalidez;

    • Suplementação de Pensão por Morte do Participante;

    • Suplementação de Abono Anual.

    Como será a Renda da Aposentadoria Normal e a da Antecipada?

    A Renda da Aposentadoria Normal é totalmente independente das regras do INSS, podendo ser exercida quando o participante tiver 55 anos de idade, pelo menos 5 anos de filiação ao Valiaprev, contados a partir da data da última adesão ao Valiaprev, e vier a se desligar da empresa por qualquer motivo.

    A Renda da Aposentadoria Antecipada obedece às mesmas regras, sendo que a exigência da idade mínima fica reduzida para 45 anos.

    Como será calculada a Suplementação da Aposentadoria por Invalidez?

    Caso o participante fique inválido, o seu benefício será vitalício (por toda a vida) e igual ao maior dentre os três valores:

    • 60% da média dos 12 últimos salários-de-participação corrigidos, menos10 UR (*);

    • Transformação do seu Saldo de Conta em renda mensal vitalícia;

    • 15% da média dos 12 últimos salários-de-participação corrigidos.

    (*)UR – Unidade de Referência do Plano Valiaprev, utilizada para cálculo de benefícios e contribuições, conforme definido no Regulamento. Para conferir o valor atual da UR, entre em contato com o Fale Conosco da Valia.

    Como é feito o cálculo da Pensão por Morte do participante?

    Se o participante falecer em atividade, o (s) seu (s) beneficiário (s) terá uma pensão igual a 70% da Suplementação da Aposentadoria por Invalidez a que o participante teria direito se tivesse ficado inválido.

    Se o falecimento ocorrer no período em que o participante já receba o benefício de Renda pelo Valiaprev, o valor será calculado da seguinte forma:

    • em caso de Renda Vitalícia, igual a 70% do benefício, ou

    • caso o participante não tenha optado por Renda Vitalícia, igual a 100% do benefício, até o término do prazo de recebimento da Renda ou enquanto existir Saldo de Conta remanescente.

    Quem são os beneficiários do Valiaprev?

    • Cônjuge;

    • Companheiro ou companheira;

    • Filhos e filhas (inclusive os legalmente adotados) menores de 21 anos ou com até 24 anos, desde que estejam cursando estabelecimento de ensino superior;

    • Filhos e filhas solteiros e inválidos de qualquer idade;

    • Ex-cônjuge, ex-companheiro ou ex-companheira que estejam recebendo pensão alimentícia.

    Quem receberá o valor acumulado na conta do participante, caso ele faleça antes de receber o benefício e não tenha beneficiários?

    Os herdeiros legais, conforme definido na Legislação e no Regulamento do plano.

    O viúvo ou viúva, que esteja recebendo benefício de Pensão por Morte pelo Valiaprev, que resolver se casar deixará de receber o benefício?

    Não. O viúvo ou viúva que se casar novamente continuará recebendo o benefício de Pensão por Morte previsto no Valiaprev.

    O que é a Renda do Benefício Diferido por Desligamento?

    É um benefício decorrente da opção pelo “Benefício Proporcional Diferido”.

    O que é o Benefício Proporcional Diferido?

    O Benefício Proporcional Diferido, também conhecido como BPD, permite que o participante obtenha a Renda do Benefício Diferido por Desligamento, sem a necessidade de contribuir para o plano após a rescisão do seu contrato de trabalho com a empresa patrocinadora. Ele permanecerá vinculado até que esteja em condições de requerer e receber este benefício, nos termos previstos no Regulamento do Plano Valiaprev.

    Quem escolhe o Benefício Proporcional Diferido fica impedido de optar posteriormente pela Portabilidade ou pelo Resgate?

    Não. O participante que escolheu o Benefício Proporcional Diferido (pode mudar, se quiser, para a Portabilidade ou para o Resgate). Basta respeitar os termos e condições previstos no regulamento do Valiaprev.

    O que acontece se, após receber o Extrato, o participante não fizer sua opção no prazo de 30 dias, seja pelo Autopatrocínio, pelo Benefício Proporcional Diferido, pela Portabilidade ou pelo Resgate?

    O participante passará à condição de “vinculado presumido”, desde que esteja na condição de contribuinte ativo antes da rescisão do contrato de trabalho com a empresa patrocinadora, não tenha preenchido os requisitos para a Renda de Aposentadoria Normal ou Renda de Aposentadoria Antecipada e tenha cumprido a carência de 1 ano de vinculação ao Valiaprev.

    Dessa forma, estará apto a requerer e receber a Renda do Benefício Diferido por Desligamento – quando forem cumpridos os requisitos –, nos termos previstos no regulamento do Valiaprev e nas condições das normas internas da Valia.

    Se estiver na condição de vinculado o participante poderá contribuir para o plano?

    Sim. Nesta hipótese, embora não seja obrigatório, o participante poderá fazer contribuições esporádicas e melhorar o valor do seu benefício no futuro.

    Que condições o participante deve preencher se quiser optar pelo Benefício Proporcional Diferido, e em qual prazo?

    • As condições são:

    • Ter rescindido o contrato de trabalho com a empresa patrocinadora;

    • Não ter preenchido os requisitos para a Renda de Aposentadoria Normal nem ter iniciado o recebimento da Renda de Aposentadoria Antecipada;

    • Ter cumprido a carência de 1 ano de vinculação ao Valiaprev;

    • Não ter requerido o Resgate nem a Portabilidade;

    • Ter cumprido o prazo regulamentar para a opção, observadas as demais condições previstas no Regulamento do plano Valiaprev.

    Mesmo desligando-se da empresa, o Valiaprev lhe dá a opção de permanecer no plano.

    O prazo para a opção pelo Benefício Proporcional Diferido é de até 30 dias contados do recebimento do Extrato.

    O que é o Abono Anual?

    É um benefício semelhante ao 13º salário. É pago pela Valia ao assistido até o mês de dezembro, e o seu valor é igual ao valor do benefício mensal pago no mês.

    Como serão reajustados os benefícios vitalícios?

    Os benefícios de risco (Suplementação de Aposentadoria por Invalidez e Pensão por Morte) e os demais benefícios vitalícios serão reajustados pelo menos uma vez por ano, com base na variação do IPC-FGV(*).

    (*) IPC-FGV – Índice de Preços ao Consumidor – Brasil apurado pela Fundação Getúlio Vargas.

    Como serão revistas as rendas que não são vitalícias?

    Os benefícios programáveis, que não forem pagos de forma vitalícia (Renda de Aposentadoria Normal ou Antecipada e Renda do Benefício Diferido por Desligamento), terão seu valor revisto mensalmente com base na rentabilidade líquida dos investimentos.

    O participante terá que continuar pagando a contribuição ordinária para o Valiaprev quando começar a receber benefício pelo plano?

    Não. A contribuição ordinária cessa automaticamente quando o participante passar a receber o benefício do Valiaprev.

    Como o participante poderá projetar o valor do seu benefício na aposentadoria?

    O participante poderá utilizar o simulador de benefícios disponível no site da Valia (www.valia.com.br).

  • ​Benefício Definido

    O que é “contencioso”?

    O contencioso acontece quando o participante e a Valia não chegam a um entendimento sobre determinada demanda, que é levada à apreciação e julgamento do Poder Judiciário.

    A Valia tem patrimônio próprio?

    Não. A Valia é uma administradora dos recursos aportados pelos participantes e pelos patrocinadores. Nosso principal objetivo é gerir o patrimônio a fim de cumprir o compromisso assumido no Contrato Previdenciário, que é o de pagar os benefícios combinados.

    Qual é a situação financeira atual do Plano de Benefício Definido?

    O Plano de Benefício Definido goza atualmente de boa sustentação financeira, sendo certo que o contencioso existente não afeta o compromisso da Valia em pagar os benefícios previstos no Contrato Previdenciário.

    Por que é dito que “o contencioso impacta o Plano de Benefício Definido”? Qual é esse impacto?

    A Valia, por obrigação legal, deve constituir uma reserva para cobrir eventuais perdas no contencioso. É o chamado “Exigível Contingencial” que aparece no balanço da Fundação. É esse o principal “impacto” do Contencioso no PBD: a Valia constituir uma reserva relativa aos processos judiciais que seus advogados entendem com “perda provável”, ou seja, casos em que a Fundação avalia que tem mais chance de perder do que ganhar, diante das decisões dos juízes e das matérias em discussão.

    Por que a Valia, via de regra, não faz acordos nos processos de pedido de reajuste de suplementação que ainda não foram julgados definitivamente?

    O Plano de Benefício Definido é um plano com característica de mutualismo. Isso significa que se um participante tem na Justiça garantido seu direito a um reajuste de suplementação sem cobertura financeira/atuarial, o patrimônio do Plano, que pertence a ele e a todos os demais participantes, será impactado para que esse reajuste seja concedido.

    A Valia, enquanto administradora de patrimônio de terceiros, pauta sua postura sempre em defesa da integridade do Plano de Benefício Definido e, consequentemente, no seu compromisso de pagar os benefícios previstos no Contrato Previdenciário.

    A Valia tem, portanto, obrigação de contestar judicialmente esses pleitos, com o intuito de evitar o pagamento de quantias indevidas a determinados participantes, em prejuízo de todos os demais.

    Quais são as razões para a oscilação na “Provisão para Contingências Judiciais”?

    O contencioso é extremamente dinâmico. Há diversos fatores que impactam, mensalmente, o “Exigível Contingencial”, que pode aumentar ou diminuir basicamente dependendo:

    i. da entrada de novos processos classificados pelos nossos advogados com “perda provável”;

    ii. da saída de processos em razão de pagamento/celebração de acordos em processos já definitivamente julgados;

    iii. da reclassificação de processos (“perda provável” para “perda possível”, diante de uma decisão judicial favorável, por exemplo);

    iv. do recálculo de processos, em decorrência de definição de parâmetros pela Justiça, etc.

    Quais são os principais assuntos discutidos no contencioso relativo ao Plano de Benefício Definido? Qual é a proporção desses assuntos no “Exigível Contingencial” do referido plano?

    As informações estão disponíveis no site www.valia.com.br, na seção “Relatório Anual” - Notas Explicativas, item 13.1.

    Os assistidos da Valia precisam fazer o recadastramento?

    Os assistidos (aposentados e pensionistas) residentes no Brasil não precisam comparecer a uma agência da Valia para fazer o recadastramento. A Fundação realiza a comprovação de vida de forma eletrônica, por meio do cadastro da DATAPREV, que é a empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social.

    Recomendamos, no entanto, que mantenha sempre o seu endereço e telefone atualizados e indique um e-mail pessoal, caso possua, para agilizar o seu contato.

    No caso de falecimento do participante, a família deverá encaminhar o atestado de óbito para a Valia.

    A Valia disponibiliza as informações financeiras do Plano de Benefício Definido?

    Sim. As informações estão disponíveis no site www.valia.com.br, na seção Demonstrativos – Demonstrações do Ativo Líquido.

    O que é superávit?

    A Valia investe os recursos do plano de Benefício Definido e, quando a rentabilidade dos investimentos é maior do que a prevista, o plano entra em superávit.

    Quem define a regra de distribuição do superávit?

    A lei aprovada pelo Congresso Nacional e as resoluções estabelecidas pela Comissão Nacional de Previdência Complementar (CNPC).

    O que a lei define?

    Veja, na ilustração abaixo, de maneira simplificada, o que estabelece a lei para distribuição do superávit.

     

    Isso significa que, dependendo da evolução do patrimônio do plano (por exemplo, rentabilidade dos investimentos), qualquer alteração no valor das reservas matemática e de contingência, bem como do contencioso, poderá provocar redução, aumento ou suspensão no pagamento do superávit.

    Como tem sido pago o superávit na Valia?

    Breve histórico:

    2007: distribuição mensal de superávit no percentual de 11,59%.

    2008 até hoje: distribuição mensal de superávit no percentual de 25%.

    Além da distribuição mensal, a Valia pagou também abonos equivalentes ao benefício mensal*: Em 2010 e 2011, foram pagos três vezes o valor do benefício mensal por ano*; Em 2012 e 2013, foram pagos seis vezes o valor do benefício mensal por ano*; Em 2014, foram pagos 11,44 vezes o valor do benefício mensal*.

    *Benefício mensal líquido de contribuição.

    Continuarei a receber o superávit na forma dos 25% mensais?

    Conforme apresentado na tabela acima, o plano de Benefício Definido atualmente está com superávit, permanecendo possível o pagamento dos 25% mensais no ano de 2016. Esse pagamento é feito a partir de um “fundo de distribuição de superávit”, aprovado pela PREVIC, que terminou 2015 com R$ 209 milhões e, a cada mês, tem seu valor reduzido por conta do pagamento dos 25% mensais. Não há, portanto, qualquer garantia de que os resultados dos investimentos serão sempre suficientes para a manutenção do pagamento dos 25% mensais, em virtude da conjuntura econômica, mudanças de legislação, volatilidade dos mercados financeiros e regras restritivas.

    Receberei mais abonos?

    Todo ano a Valia calcula o seu resultado e o Conselho Deliberativo avalia se há condições de realizar distribuições extras. Os resultados de 2015 estão sendo estudados por profissionais da Valia e da Aposvale. De toda forma, uma eventual aceleração de distribuição (“pagamento de abonos”) antecipará o fim do pagamento dos 25% mensais.

  • Cenibra - Benefícios

    Quais são os benefícios do Cenibra?

    I- quanto aos contribuintes:

    • suplementação de aposentadoria por invalidez;

    • renda de aposentadoria por idade;

    • renda de aposentadoria por tempo de serviço;

    • renda de aposentadoria antecipada;

    • suplementação ou renda do abono anual.

     

    II- quanto aos dependentes:

    • suplementação de pensão por morte;

    • suplementação de abono anual.

    Como é feito o cálculo da Pensão por Morte do participante?

    Se o falecimento ocorrer no período em que o participante já receba o benefício de Renda pelo Cenibra, o valor será calculado da seguinte forma:

    • em caso de Renda Vitalícia, igual a 70% do benefício, ou

    • caso o participante não tenha optado por Renda Vitalícia, igual a 100% do benefício, até o término do prazo de recebimento da Renda ou enquanto existir Saldo de Conta remanescente.

    Quem são os beneficiários do Cenibra?

    • Cônjuge;

    • Companheiro ou companheira;

    • Filhos e filhas (inclusive os legalmente adotados) menores de 21 anos ou com até 24 anos, desde que estejam cursando estabelecimento de ensino superior;

    • Filhos e filhas solteiros e inválidos de qualquer idade;

    • Ex-cônjuge, ex-companheiro ou ex-companheira que estejam recebendo pensão alimentícia.

    Quem receberá o valor acumulado na conta do participante, caso ele faleça antes de receber o benefício e não tenha beneficiários?

    Os herdeiros legais, conforme definido na Legislação e no Regulamento do plano.

    O viúvo ou viúva, que esteja recebendo benefício de Pensão por Morte pelo Cenibra, que resolver se casar deixará de receber o benefício?

    Não. O viúvo ou viúva que se casar novamente continuará recebendo o benefício de Pensão por Morte previsto no Cenibra.

    Como serão reajustados os benefícios vitalícios?

    Os benefícios de risco (Suplementação de Aposentadoria por Invalidez, Auxílio-Doença e Pensão por Morte) e os demais benefícios vitalícios serão reajustados pelo menos uma vez por ano, com base na variação do IPC-FGV(*).

    (*) IPC-FGV – Índice de Preços ao Consumidor – Brasil apurado pela Fundação Getúlio Vargas.

    Como serão revistas as rendas que não são vitalícias?

    Os benefícios programáveis, que não forem pagos de forma vitalícia (Renda de Aposentadoria Normal ou Antecipada e Renda do Benefício Diferido por Desligamento), terão seu valor revisto mensalmente com base na rentabilidade líquida dos investimentos.

    O participante terá que continuar pagando a contribuição ordinária para o Cenibra quando começar a receber benefício pelo plano?

    Não. A contribuição ordinária cessa automaticamente quando o participante passar a receber o benefício do Cenibra.

  • Empréstimo

    Já paguei algumas prestações do meu empréstimo, porque o meu saldo devedor não reduz?

    O saldo devedor do contrato é atualizado mensalmente pela variação do INPC, e, em seguida, pela taxa de juros contratada. A parcela destinada ao pagamento dos encargos, no início, é maior do que aquela destinada ao pagamento da parcela principal. Pode, até mesmo, ocorrer situação em que o valor da prestação seja insuficiente para quitar a parcela de encargos, aumentando transitoriamente o saldo devedor. No final, esta situação se inverte, passando a parcela principal a ser amortizada de forma mais acentuada.

    Solicitei a quitação antecipada do meu contrato e por que não tive desconto?

    O saldo devedor contratado é atualizado mensalmente, não considerando a incidência de juros futuro. Para a quitação do mesmo, é necessário aplicar os juros (de acordo com a modalidade escolhida) e a correção monetária do mês de referencia, de forma proporcional a quantidade de dias do mês em questão.

    Por que não estou recebendo os boletos de empréstimos em minha residência, o que devo fazer?

    É importante manter atualizado os dados cadastrais (endereço residencial, e-mail pessoal e telefones) na Valia. O participante também deve verificar se é optante pelo DDA (Débito Direto Autorizado) nos bancos que possui ou já possuiu conta, mesmo que não tenha feito essa opção para o boleto da Valia. O optante pelo DDA não receberá o boleto bancário.

    Por que não visualizo o registro do pagamento, se já paguei o boleto?

    Dependendo do local de pagamento poderá ocorrer uma demora da efetivação de até 3 dias úteis, em virtude do tempo de repasse para a Valia.

    Por que recebi uma carta de cobrança se já paguei o boleto?

    Nesse caso, o pagamento do boleto foi realizado após a data de emissão da carta de cobrança. O participante deverá desconsiderar a carta, conforme informado na mesma.

    Se houve desconto no meu contracheque, porque recebi uma carta de cobrança da prestação do mês?

    Nesse caso, existiam prestações não pagas em meses anteriores, devido à ausência de descontos por causa de férias, auxílio doença ou descontos prioritários, por exemplo.

    Por que não houve desconto no meu contracheque?

    É importante verificar se houve outros descontos no contracheque, como por exemplo: Pensão Alimentícia, Imposto de Renda, INSS, AMS (Auxílio Médico). Dessa forma, há possibilidade da prestação não ser descontada, pois esses descontos são prioritários.

    Por que não consigo acessar o Autoempréstimo?

    Após validar o seu código de acesso e senha com o atendimento da Valia, você pode acessar o Autoempréstimo, utilizando os navegadores Internet Explorer, Google Chrome ou Mozilla Firefox. O problema mais recorrente é o de bloqueio de pop-up estar ativado. Nesse caso, desative a função ou adicione o site da Valia na lista de exceções.

    Por que não consigo gerar meu boleto no Autoempréstimo em PDF?

    Normalmente isso acontece quando você não tem o complemento do Adobe Reader instalado ou o mesmo está com problemas.

    a) Clique em iniciar / Painel de Controle / Programas e Recursos Remova da lista o Adobe Reader Plugin;

    b) Reinicie o computador;

    c) Abra o Internet Explorer/ clique em ferramentas (ícone da engrenagem no canto superior direito da tela) / opções de internet / avançadas / redefinir;

    d) Marque a opção de Excluir configurações pessoais e clique em Redefinir novamente. Reinicie o navegador, em seguida acesse alguns arquivos pdf online para que o plugin seja instalado novamente.

​​​
© 2015 - Valia | Todos os direitos reservados.